Terminal portuário da Log-In depende de autorização da Antaq – Valor Econômico

O terminal portuário que a Log-In pretende construir em Manaus, no Amazonas, ainda depende de autorização da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), disse hoje o presidente da empresa, Vital Jorge Lopes.

No início deste mês, a Log-In obteve a licença de instalação do órgão ambiental do Estado do Amazonas depois de uma longa discussão que envolveu disputa judicial.

Na visão de Lopes, o Terminal Portuário das Lajes, como o projeto é chamado, vai permitir à Log-In crescer em volume de cargas na região norte. A empresa estima que existe um potencial de 700 mil TEUs (contêiner equivalente a 20 pés) de cargas no Amazonas que podem migrar para a navegação de cabotagem, daí a importância do projeto.

O terminal, cuja fase de engenharia está praticamente concluída, será instalado em área de cerca de 600 mil metros quadrados próxima ao Pólo Industrial de Manaus. O investimento estimado é de cerca de R$ 200 milhões e a capacidade de movimentação será de 250 mil TEUs por ano em uma primeira fase. A Log-In tem 70% do projeto, sendo os 30% restantes de propriedade da Juma Participações, dona do terreno onde será instalado o terminal.

Lopes disse que, a partir da obtenção da outorga pela Antaq, a empresa vai imprimir velocidade ao projeto para colocar o porto em operação no menor tempo possível. “Já apresentamos os documentos à agência”, disse Lopes. Ele estimou que a construção leve entre 18 e 22 meses. “O marco é a data de início, o que depende das chuvas uma vez que a primeira parte da obra é a terraplenagem.”

Lopes comentou hoje os resultados da Log-In no segundo trimestre do ano, quando a empresa registrou lucro líquido de R$ 235 mil, queda de 90,7% em relação ao resultado do segundo trimestre de 2010, que foi de R$ 2,7 milhões.

Compartilhar no facebook
COMPARTILHAR
Compartilhar no google
COMPARTILHAR
Compartilhar no twitter
COMPARTILHAR
Compartilhar no linkedin
COMPARTILHAR