Câmara de Infraestrutura e Logística fará diagnóstico do setor – Jornal do Commercio

Debater a atual realidade gaúcha de infraestrutura e logística, estabelecer prioridades para execução e indicar formas de viabilização é a responsabilidade da mais nova câmara temática do Conselhão. Instalado ontem, quinta-feira (13), o colegiado trabalhará nos próximos meses para fazer um diagnóstico completo da situação do setor, identificar os gargalos, formas de financiamento e modernização.O secretário executivo do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), Marcelo Danéris, destacou que a mobilidade social, escoamento da produção e sustentabilidade ambiental são bases para orientar este trabalho. “A promoção de um novo ciclo de desenvolvimento no Etado se relaciona diretamente com a necessidade de existência de um sistema adequado de infraestrutura e logística. Dele dependem nossa competitividade e perspectiva de crescimento”, explicou.
O secretário de Infraestrutura e Logística, Beto Albuquerque, citou algumas prioridades já diagnosticadas como a segunda ponte do Guaíba, acesso asfáltico para 104 municípios, duplicação da RS-118, da BR-116 entre Guaíba e Pelotas; duplicação de 250 km em trechos importantes para a produção como Passo Fundo/Marau, Bento Gonçalves/Carlos Barbosa, Bento Gonçalves/Farroupilha, Cruz Alta/Ijuí; Venâncio Aires/Santa Cruz.
Ele informou que o Governo do Estado tem a previsão de investir cerca de R$ 3 bilhões na área até o final da gestão. No entanto, alertou sobre a insuficiência de recursos para todas estas obras, mesmo com a importante parceria do Governo Federal. “O que vamos fazer para reduzir o déficit no setor e como pagar são questões fundamentais”, alertou.
“Trata-se de uma iniciativa oportuna e importante para o futuro do Rio Grande do Sul. O Estado carece desse debate para aprimorar sua capacidade de ação e investimento”, considerou Beto Albuquerque sobre a instalação do colegiado. “Com certeza, o trabalho da Câmara Temática será de extrema importância para que se tracem as melhores estratégias de ação”, complementou.
Para o conselheiro Athos Cordeiro, a sociedade civil, por meio das entidades relacionadas ao tema, precisa unir esforços com o Estado, em suas três esferas, juntamente com a iniciativa privada. “Tenho a convicção de que essa câmara, assim como outras já fizeram aqui no Conselho, saberá apontar os caminhos certos a serem percorridos”, opinou.
Entre as pautas definidas no Termo de Instalação estão a redução de desigualdades regionais; planejamento de curto, médio e longo prazo; integração e cooperação com o Mercosul; visualização de oportunidades de investimentos federais; investimentos estaduais, federais e financiamentos internacionais na malha viária, aeroportos, ferrovias, portos e redes de abastecimento de água e saneamento básico; manutenção, conservação, ampliação e construção de rodovias estratégicas; transporte ferroviário e Ferrovia Norte-Sul; Metrô de Porto Alegre e expansão do Trensurb; hidrovias e portos; ampliação do Salgado Filho e situação dos aeroportos regionais; transporte intermunicipal de passageiros; pontes e demais obras especiais para a melhoria do escoamento da produção e transporte de passageiros; construção da nova ponte sobre o Rio Guaíba em Porto Alegre; expansão do abastecimento de água e do acesso ao saneamento básico no meio urbano e rural; normas técnicas ambientais; e obras ambientalmente sustentáveis.
Além de conselheiros e integrantes da Secdes, estiveram presentes o secretário Estadual de Infraestrutura e Logística, Beto Albuquerque, e membros da Coordenação de Assessoramento Superior ao Governador, da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, da Secretaria Geral de Governo e da Secretaria Estadual de Habitação e Saneamento; assim como representantes da Corsan, Metroplan, Fiergs, Fórum de Infra-estrutura, Setcergs, Sicepot-RS, Sinduscon-RS, Abes-RS e Senge-RS.

Compartilhar no facebook
COMPARTILHAR
Compartilhar no google
COMPARTILHAR
Compartilhar no twitter
COMPARTILHAR
Compartilhar no linkedin
COMPARTILHAR