Técnicos constatam recalque no Berço 01 do Porto de Itajaí – Guia Marítimo

O corpo técnico contratado para vistoriar as avarias no berço 01 do Porto de Itajaí constatou que o rebaixamento – entre 15 e 20 centímetros, ocorrido em alguns pontos do berço operado pela APMT (APM Terminals Itajaí) – foi ocasionado por acentuado aprofundamento ocorrido em frente àquele ponto do cais. A avaliação foi acompanhada pelos superintendentes do Porto de Itajaí e da APMT, engenheiro Antônio Ayres dos Santos Júnior e Walter Joos, respectivamente; pelo diretor técnico do Porto André Pimentel e por representantes da Secretaria de Portos da Presidência da República (SEP).

Ayres explica que, de acordo com estudo de batimetria realizado na área do berço 01 foi constatado um acentuado aprofundamento da área em frente à área de cais gerado pela correnteza, chegando a cerca de 20 metros. “Essa escavação provocou o deslocamento do material de sustentação das estacas, provocando o deslocamento das mesmas e resultou no recalque do berço”, informa Ayres.

Segundo o engenheiro, na avaliação preliminar foi constatada a necessidade de reparos, os quais deverão ser detalhados com estudos mais aprofundados. A obra, segundo estimativa inicial dos especialistas, deverá ser realizada entre quatro e seis meses. “Enquanto isso, a APMT utilizará o berço 4, da área do Porto Público, o que não comprometerá, de forma alguma, as operações da empresa na cidade e nem as operações do complexo como um todo”, garante Ayres. O superintendente da APMT diz que o estudo do projeto está em pleno andamento e as obras devem iniciar o mais breve possível.

Os estudos de batimetria nos canais de acesso e bacia de evolução do Complexo Portuário e Logístico de Itajaí foram iniciados na terça-feira, pela manhã, e os resultados conclusivos deverão ser entregues à Autoridade Portuária no decorrer desta semana. “Entretanto, um estudo preliminar feito pela empresa de dragagem Jan de Nul aponta que o assoreamento nos canais de acesso foi significativamente inferior ao ocorrido em 2008, inclusive, se a formação de bancos de areia no canal externo”, acrescenta Ayres. De acordo com o próprio Porto, as informações apontam que as operações portuárias nos demais berços, Portonave e terminais a montante devem ser retomadas ainda nesta semana.

Em visita emergencial ao Porto de Itajaí na tarde de segunda-feira, 12, o ministro de Portos, Leônidas Cristino, garantiu recursos para os serviços de restabelecimento das profundidades – em níveis anterior a enchente – para serem investidos em dragagem. “Precisamos restabelecer imediatamente as operações do Complexo Portuário do Itajaí, que é muito representativo na infraestrutura portuária brasileira e nas nossas operações de comércio exterior”, disse o ministro.

Compartilhar no facebook
COMPARTILHAR
Compartilhar no google
COMPARTILHAR
Compartilhar no twitter
COMPARTILHAR
Compartilhar no linkedin
COMPARTILHAR