Rebanho bovino australiano aumenta, mas exportação deve cair, diz governo – Folha de S. Paulo

As boas condições de pastagens em algumas regiões da Austrália vão permitir aumento de 2% no rebanho do país, que deve ir a 28 milhões de cabeças em 2011/12.
A estimativa é da Abare (departamento governamental responsável pela agricultura e pela pecuária no país). Apesar do crescimento do rebanho, o cenário não é tão favorável. A conjugação de reposição do rebanho, demanda externa mais fraca e preços menores provocará redução de 1% no abate, previsto para 8 milhões de cabeças.
A produção de carne bovina, consequentemente, será menor, recuando para 2,1 milhões de toneladas. O país, que exporta carne de qualidade, começa a encontrar demanda menor, principalmente no Japão, e concorrência da carne dos Estados Unidos, o que deve derrubar as exportações para 920 mil toneladas, segundo a Abare. O Japão, principal mercado dos australianos, deverá importar 325 mil toneladas, 7,1% menos do que no ano anterior. Já a Coreia, outro importante mercado, elevará as compras em 4,3%, para 145 mil toneladas.
Os dados do órgão apontam, ainda, para queda de 15% nos abates de fêmeas no quadrimestre encerrado em junho em relação a igual período anterior.
Os australianos perdem mercado, também, nas exportações de gado vivo. As estimativas são de vendas de 450 mil animais, 35% abaixo do total comercializado na safra 2010/11.

Marfrig Após a venda do braço logístico da Keystone Foods, o Marfrig não descarta a comercialização de outros ativos que não estejam ligados diretamente à produção animal.

Porto Um dos ativos entre os que a empresa poderá se desfazer é o terminal portuário de Itajaí, em Santa Catarina. A empresa herdou esse terminal na compra da Seara.

Mais receitas As exportações brasileiras do complexo soja devem render US$ 23 bilhões neste ano, segundo estimativas da Abiove (associação das indústrias do setor). Esse valor supera em 35% o do ano anterior.

Onde cresce As exportações de soja em grão deverão render US$ 15,6 bilhões, 42% mais do que as do ano passado. As exportações de óleo de soja vão aumentar 40%; as de farelo, 18%.

Queda O trigo está sendo negociado em Chicago com recuo de 8% em relação aos valores de há um ano.

Consumo interno de óleo de soja recua 22% no ano

O consumo interno de óleo de soja, que vinha aquecido devido à utilização na produção de biodiesel, está em queda neste ano. De fevereiro a julho, o consumo foi de 2,1 milhões de toneladas, 22% menos do que em igual período anterior. Os dados são da Abiove (Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais). Apesar dessa queda neste início de safra, a associação prevê consumo total de 5,45 milhões de toneladas neste ano -de fevereiro de 2011 a janeiro de 2012.
Se confirmado, esse volume superará em 1,1% o da safra anterior. A produção total de óleo deverá atingir 7,1 milhões de toneladas, com as exportações ficando em 1,6 milhão de toneladas, conforme estimativas da Abiove.

Compartilhar no facebook
COMPARTILHAR
Compartilhar no google
COMPARTILHAR
Compartilhar no twitter
COMPARTILHAR
Compartilhar no linkedin
COMPARTILHAR