Porto de Santos registra movimento recorde – Folha de S. Paulo

O porto de Santos registrou, nos primeiros sete meses de 2011, movimento de 55 milhões de toneladas de mercadorias -novo recorde para o período.

Mesmo sem a conclusão de grandes obras de infraestrutura no porto, o balanço que considera dados de janeiro a julho apontou aumento de dois dígitos na movimentação de todos os tipos de carga.

O movimento dos granéis líquidos cresceu 26,14% no período em relação a 2010, enquanto o de sólidos aumentou 15,75%.

A movimentação de contêineres por hora por navio operado (mph) teve crescimento de 23,11% neste ano em relação a 2010.

A maior produtividade resulta de investimentos privados no pátio e em equipamentos do cais, segundo o presidente da Santos Brasil, Antonio Carlos Sepúlveda.

Ele aponta também como ponto positivo o esforço do setor público para a manutenção da dragagem do porto, que evita interrupções na operação dos terminais.

Apesar do índice recorde, os operadores dos terminais portuários são unânimes em dizer que a produtividade e a capacidade do porto somente podem seguir aumentando se houver investimento na malha ferroviária do país.

“Como o porto tem crescido por mais de dez anos a índices elevados, a questão do acesso se tornou um problema. Nós sabemos que nesse ritmo o acesso rodoviário vai ter uma degradação de serviço preocupante”, afirma Carlos Eduardo Magano, da Cosan/Rumo Logística.

RECURSOS DO PAC
Para os próximos anos, está previsto quase R$ 1,3 bilhão de recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) no porto de Santos que vão impactar diretamente a movimentação de carga. Desse valor, R$ 690 milhões serão destinados a acessos rodoviários.

A previsão de investimentos privados nos próximos anos é de R$ 3 bilhões, principalmente por parte dos novos terminais BTP (Brasil Terminal Portuário) e Embraport, que praticamente vão duplicar a capacidade de movimentação de contêineres.

O aumento do volume total de carga movimentada no porto de Santos foi puxado pelo crescimento de 11,8% das importações em relação ao mesmo período de 2010, com destaque para minério de ferro (132,1%) e para adubos (128,7%).

A exportação, porém, teve redução de 1,3%, principalmente por causa da queda no desempenho do açúcar (9,3%) e da soja em grão (1,4%), principais mercadorias embarcadas no porto.

A movimentação de veículos foi recorde no período, com aumento de 30% em relação ao ano passado, enquanto a de contêineres subiu 13,6%.

Compartilhar no facebook
COMPARTILHAR
Compartilhar no google
COMPARTILHAR
Compartilhar no twitter
COMPARTILHAR
Compartilhar no linkedin
COMPARTILHAR