Pó branco diminui risco de acidentes e explosões no Porto de Paranaguá – O Estado do Paraná

As operações dentro do silo público do Porto de Paranaguá estão mais seguras. A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) acaba de adquirir um lote de óleo mineral branco para ser pulverizado sobre a soja depositada no silo. Este pó, altamente explosivo, é eliminado com a aplicação do óleo, diminuindo o risco de acidentes e explosões.

Desde 2007, o óleo mineral não era comprado pela Appa. A atual administração da autarquia tem buscado otimizar as operações em todo o porto, aumentando a segurança e garantindo a eficiência.

De acordo com o chefe da divisão de manutenção industrial da Appa, Gelson Aécio Nader, a soja que é depositada no silo público chega através de correias elevadoras. “Este pó que se forma faz com que estas partículas fiquem em suspensão no silo e também dentro dos elevadores. Com a pulverização do óleo, esta poeira não se forma, reduzindo bastante o risco de explosões”, explica.

O óleo mineral é inodoro, incolor e não afeta as características da soja. Com ele, o grão não gruda nas paredes internas do silo, minimizando desperdícios e reduzindo a necessidade de limpeza do silão.

O consumo médio de óleo será de 30 mil litros por mês. Esta primeira compra garantirá óleo para um ano de aplicação, fazendo com que a safra 2012 seja atendida por este mecanismo.

O silo público do Porto de Paranaguá foi construído em 1979 e tem capacidade para armazenar 100 mil toneladas de soja. Em função do risco de explosão da manipulação do produto, já ocorreram três acidentes no silo, sendo que a última explosão aconteceu em 1992.

Compartilhar no facebook
COMPARTILHAR
Compartilhar no google
COMPARTILHAR
Compartilhar no twitter
COMPARTILHAR
Compartilhar no linkedin
COMPARTILHAR