Obras devem sofrer mais atraso – Diário do Nordeste

Os trabalhos nas rodovias estão atrasados desde 2010 e abrangem 32 quilômetros do contorno de FortalezaBrasília As obras de recuperação e ampliação do anel viário de Fortaleza poderão sofrer mais atrasos. Segundo informação prestada pelo ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, ao deputado Danilo Forte (PMDB-CE), as empresas que ficaram respectivamente em primeiro e segundo lugares na licitação das obras do anel viário já desistiram do processo e o governo federal agora negocia com a empresa que ficou em terceiro lugar. “Caso as negociações com a empresa não evoluam, o governo será obrigado a abrir um novo processo licitatório para este trecho”, informou Danilo Forte, após o encontro com o ministro.
A audiência teve como objetivo fazer um acompanhamento das obras das rodovias federais no Ceará, 20 dias após a visita de Alfredo Nascimento ao Estado e foi acompanhada, via telefone, pelo superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit) no Ceará, José Abner.
As obras do anel viário de Fortaleza estão atrasadas desde 2010. O anel abrange 32 quilômetros do contorno de Fortaleza e corta os municípios de Eusébio, Fortaleza, Itaitinga, Maracanaú e Caucaia, ligando ao Porto do Pecém.
A obra prevê a duplicação do anel viário, desde a CE-040, passando pelas BRs 116, 222 e 020, e também pelas CEs 060 e 065, terminando na Lagoa do Tabapuá, em Caucaia. Segundo o levantamento apresentado, já foram abertos 20 quilômetros de obras no perímetro urbano de Umirim, “e na ligação entre Croatá e Itapajé”.
O deputado informou ainda que as obras também já estão encaminhadas no perímetro urbano de Itapajé. O deputado foi informado que já foi mobilizada a “patrulha mecânica” que chegou para fazer as obras no trecho entre Patos e Sobral. Nesta área é necessária a recuperação de sete pontes danificadas.
Precariedade e mortes
Os esforços do governo federal ainda são precários diante da necessidade do Estado. Somente no último feriado de Corpus Christi quatro pessoas morreram nos trechos das estradas federais no Ceará. O ministro Alfredo Nascimento deu prazo de 30 dias para a conclusão das obras de abertura de uma passagem de pedestres na BR 116.
De acordo com levantamento da Confederação Nacional dos Transportes, 86,3% das rodovias federais que cortam o Estado do Ceará precisam de melhorias em sua estrutura.
Os 190 quilômetros da BR-222, que ligam o município de Sobral a Caucaia, são considerados os mais onerosos dentre os previstos para “adequação da capacidade” nos investimentos. A obra está orçada em R$ 370 milhões, mas até agora a previsão é de que fique pronta somente em 2015.

Compartilhar no facebook
COMPARTILHAR
Compartilhar no google
COMPARTILHAR
Compartilhar no twitter
COMPARTILHAR
Compartilhar no linkedin
COMPARTILHAR