MMX vai atingir capacidade total do porto Sudeste – Valor Econômico

Um acordo fechado esta semana com a Minerinvest Mineração para fornecer minério vai fazer com que a MMX fique cada vez mais próxima de atingir a capacidade total de embarque prevista na primeira fase do porto Sudeste, de 50 milhões de toneladas, sem desembolsar nenhum dinheiro. Com a expansão das minas próprias, Serra Azul e Pau de Vinho, já estará ocupada uma capacidade de 14 milhões de toneladas anuais. Um contrato assinado com a Usiminas prevê o embarque de 12 milhões e o novo acordo, com a Minerinvest, mais 10 milhões de toneladas. Esses volumes já totalizam 38 milhões de toneladas anuais a serem exportadas pelo terminal.O contrato a ser assinado com a Minerinvest, até o fim do ano, prevê que a mineradora embarcará até 5 milhões de toneladas de minério pagando US$ 19,77 por tonelada. A taxa será reajustada com base no preço do minério a partir do segundo trimestre de 2011, com preço mínimo estabelecido de US$ 15,90 a tonelada.
A Minerinvest também irá vender 5 milhões de toneladas de minério à MMX a US$ 64 a tonelada seca com 63,5% de teor de ferro, que será entregue em terminal da MRS. O preço de compra do minério também será reajustado proporcionalmente à variação do preço do minério no mercado internacional. A base será o preço praticado no segundo trimestre de 2011 e o piso estabelecido em contrato será de US$ 30 por tonelada.
Os volumes negociados serão anuais e estarão sujeitos à cláusula contratual de take-or-pay de 80%. O contrato terá validade de dez anos renováveis por mais dez.
A previsão é de que a Minerinvest produza no mínimo 10 milhões de toneladas anuais de minério, volume que poderá ser ampliado. O investimento para extração das 10 milhões de toneladas será integralmente realizado pela Minerinvest, que já está em tratativas com bancos e siderúrgicas europeus. No acordo está prevista a venda de até 2 milhões de toneladas da parte da MMX para siderúrgicas europeias que se comprometam com o projeto.
O Credit Suisse considerou o acordo com a Minerinvest “muito positivo”, por alavancar os ativos “sem desembolsar qualquer quantia em dinheiro”.
A licença ambiental do porto só permite o transporte de, no máximo, 50 milhões de toneladas de minério anuais. A MMX trabalha para conseguir as licenças necessárias para dar início à segunda fase, em que a capacidade deverá ser dobrada, para 100 milhões de toneladas ao ano. A expectativa do presidente da empresa, Roger Downey, é de que esse tipo de negócio possa ser ampliado para garantir a ocupação da segunda fase. “Este acordo mostra que estamos cumprindo as promessas, estamos de acordo com nossas estratégias e seguindo aquilo que queríamos alcançar quando pensamos na aquisição do porto”, disse Downey, em teleconferência para analistas.

Compartilhar no facebook
COMPARTILHAR
Compartilhar no google
COMPARTILHAR
Compartilhar no twitter
COMPARTILHAR
Compartilhar no linkedin
COMPARTILHAR