Ministro anuncia início da derrocagem – Guia Marítimo

Obra fará desmonte das pedras de Teffé e Itapema.

Os trabalhos para a derrocagem da pedra de Teffé, localizada na margem direita do Porto de Santos, próxima ao Concais, foram iniciados na terça-feira, de acordo com anúncio do ministro dos Portos, Leônidas Cristino. Após a conclusão do trabalho, será feito o mesmo processo de desmonta na pedra de Itapema, que fica próxima à margem esquerda do Porto.

A derrocagem, executada pela Ster Engenharia, vencedora da licitação pública com o valor de R$ 25,6 milhões, alcançará 16 metros de profundidade. Até 18 de setembro, foram realizados testes para ajustar a carga necessária para implosão da pedra, antes do início dos serviços de perfuração e carregamento com explosivos.

A obra da SEP (Secretaria dos Portos), com recursos do PAC (Programa de Aceleração de Crescimento), integra o projeto de aprofundamento do canal de navegação para 15 metros e alargamento para 220 metros. O objetivo é possibilitar o acesso de navios com maior calado e a expansão da capacidade da movimentação do cais do Porto de Santos.

De acordo com o ministro, a obra era inicialmente prevista para durar 18 meses, mas agora deve ser concluída em apenas três, devido aos trabalhos que ocorrerão diariamente, ao invés de uma vez por semana, como estava definido anteriormente. Além disso, ela contará com a perfuratriz Yuan Dong 007, equipamento vencedora da licitação, Stern Engenharia. “É uma tecnologia inédita no Brasil”, destaca Leônidas Cristino.

Meio ambiente

O empreendimento também conta com um plano de proteção ambiental à fauna do canal do Estuário. Uma carga suspensa de pequena intensidade será utilizada antes das detonações e, então será produzida uma cortina de bolhas ao redor da área de trabalho para reduzir o impacto da pressão da água na hora da detonação.

Também haverá equipes fazendo monitoramento ambiental e divulgação das atividades, incluindo uma de biólogos, que vai verificar a presença de espécies de mamíferos aquáticos, como botos e golfinhos, e de tartarugas, na área de trabalho da embarcação. E, caso seja constatado a presença de algum animal, o processo será interrompido. Além disso, haverá uma equipe para acompanhar a intensidade das detonações, cuidando para evitar danos às edificações próximas das pedras.

Segurança

Outra medida de segurança será o aviso sonoro que será emitido cinco minutos antes de cada detonação e depois outro um minuto antes, para alertar as pessoas que estiverem próximas às pedras. Após a detonação e inspeção da área, um novo sinal será emitido para informar sobre a liberação do canal de navegação.

Compartilhar no facebook
COMPARTILHAR
Compartilhar no google
COMPARTILHAR
Compartilhar no twitter
COMPARTILHAR
Compartilhar no linkedin
COMPARTILHAR