Com audiência pública, Appa dá mais um passo para dragagem nos portos – Agência Estadual de Notícias

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina, a Appa, e o Ibama, promoveram na última quinta-feira uma audiência pública em Paranaguá para apresentar e discutir o Estudo de Impacto Ambiental e o Relatório de Impacto Ambiental das obras de dragagem de aprofundamento nos Portos de Paranaguá e Antonina.

De acordo com o documento, o objetivo da Appa é aumentar a profundidade do canal externo de acesso ao porto de Paranaguá para 16 metros e na área interna para 14 metros. Hoje, a profundidade da bacia de evolução é de 12 metros, em média, o que limita a operação de navios de grande porte e reduz a competitividade do cais frente a outros terminais.

A diretora de licenciamento ambiental do Ibama, Gisela Forattini, disse que a audiência foi colaborativa, pois mostrou a preocupação da comunidade com a questão biótica e socioeconômica, ao mesmo tempo que apoia as obras e entende que são necessárias para a modernização do porto.

O superintendente da Appa, Airton Vidal Maron, disse que a audiência pública, que contou com aproximadamente 200 pessoas, foi positiva. Segundo ele, as obras de dragagem vão potencializar o porto, e re-estabelecer Paranaguá no cenário nacional de importação e exportação.

Segundo a Appa, a estimativa é que sejam retirados oito milhões de metros cúbicos de sedimentos, num período de nove meses de obras. A área de despejo do material dragado vai ficar a 40 quilômetros do cais comercial do Porto de Paranaguá, em mar aberto. O custo total da campanha é estimado em 90 milhões de reais, que será pago com recursos da Appa e do Programa de Aceleração do Crescimento, o PAC, do governo Federal.

O Ibama abriu um prazo regulamentar de 15 dias para receber manifestações formais em relação aos Estudos e depois deve concluir a análise de toda a documentação. Após isto, vai ser emitida a Licença Ambiental Prévia, que vai permitir a realização da licitação da dragagem. A expectativa é que as obras sejam iniciadas ainda neste ano, ou no início do ano que vem.

Compartilhar no facebook
COMPARTILHAR
Compartilhar no google
COMPARTILHAR
Compartilhar no twitter
COMPARTILHAR
Compartilhar no linkedin
COMPARTILHAR