Frete China-Brasil dispara e deve encarecer produtos importados

Para Luigi Ferrini, que comanda a Hapag Lloyd no Brasil, os fretes devem continuar altos por mais dois ou três meses — Foto: Silvia Zamboni/Valor

O frete marítimo na rota China-Brasil disparou. O custo das importações já vinha em alta no último trimestre e, nesta semana, atingiu um patamar considerado inédito de US$ 10 mil por TEU (medida padrão usada para contêineres), segundo importadores e empresas de navegação.

Clique aqui e leia a matéria na integra

Compartilhar no facebook
COMPARTILHAR
Compartilhar no google
COMPARTILHAR
Compartilhar no twitter
COMPARTILHAR
Compartilhar no linkedin
COMPARTILHAR